Zome quer ser líder ibérica num prazo de cinco anos

A Zome é uma nova agência imobiliária portuguesa e nasce da fusão de duas empresas (Business e Prime), que migraram da rede KW Portugal para lançar uma marca própria. Inicia atividade com 982 consultores, entrando diretamente para o top 5 das agências imobiliárias a atuar em Portugal, no que respeita ao número de colaboradores e à faturação, cuja estimativa se cifra nos 38 milhões de euros até final de 2019.

“A Zome é um projeto pensado por pessoas com quase duas décadas de experiência no mercado imobiliário, que conhecem bem as virtudes e os defeitos do mesmo e que sentiram a necessidade de o fazer evoluir, tanto para os seus consultores como para clientes”, explica Patrícia Santos, CEO da empresa. “Somos muito ambiciosos porque sabemos bem o valor desta equipa e queremos ser líderes no mercado Ibérico, num prazo entre três e cinco anos”, acrescenta.

Em 2019, a Zome tem prevista a criação de 350 novos postos de trabalho, bem como a abertura de três novos hubs imobiliários, em Lisboa (Parque das Nações), Aveiro e Figueira da Foz, que se juntam aos dez já existentes no resto do país e em Espanha: Braga, Vila Nova de Famalicão, Porto (CEC), Porto (Damião de Góis), Coimbra, Leiria, Cascais, Abóboda, Lisboa (Restelo) e Madrid.

“Estes hubs rompem com a estrutura convencional das agências imobiliárias. São espaços agregadores, modernos e ágeis, onde equipas multidisciplinares trabalham em comunidade, dentro de uma lógica de ‘cooptitividade’, ou seja, um equilíbrio entre cooperação e competitividade”, explica a empresa em comunicado.

Outra das várias novidades que a Zome traz ao setor é uma inovadora plataforma tecnológica, suportada por Inteligência Artificial e Big Data, que permite agilizar todos os processos de consulta e navegação, garantindo maior simplicidade para consultores e clientes.

Além da vontade de tornar a experiência de compra e venda de imóveis menos burocrática e de garantir permanente acompanhamento ao cliente durante todo o processo, a Zome define ainda outra missão importante: “Queremos que os nossos valores representem o futuro do setor. Pretendemos dignificá-lo, através da transparência. É um setor em que urge regulamentar, para qualificar os profissionais e quebrar paradigmas e preconceitos”, sublinha Patrícia Santos.

A estratégia de expansão da Zome prevê ainda a presença em todas as capitais de distrito em Portugal, no espaço de dois anos.

Artigos Relacionados: