Virar o Jogo


Liverpool, década de 1980: um grupo improvável — um matemático, um fisiologista, um psicólogo e um antigo jogador olímpico de basquetebol — começa a inovar em formas de analisar o desempenho dos desportistas. Nas décadas que se seguiram, a análise de desempenho firmou-se, tornando-se uma componente fundamental de qualquer equipa de elite em desportos tão variados como o futebol, a vela, o squash, o râguebi, o hóquei, o ciclismo, a Fórmula 1 ou o skeleton, entre outras modalidades desportivas.

Recorrendo a métodos científicos e à tentativa-e-erro, os cientistas descobriram os princípios da aprendizagem acelerada, as mecânicas da adaptação fisiológica, os princípios organizacionais por detrás de equipas de elite, e a compreensão de como as hormonas e o ambiente afetam o desempenho. Mas estas descobertas não se limitam ao desporto — são universais e revelam o que é preciso para ganhar num vasto conjunto de disciplinas, onde se incluem os negócios, a liderança e a educação.

Artigos Relacionados: