Spring Up Europe – É altura de fazer acontecer!

2018 foi declarado o ano das mulheres. Presenciámos incontáveis iniciativas, associações e grupos ativistas a emergirem, a focalizarem e a estabelecerem estratégias para finalmente mudar o desequilíbrio na sociedade que privou as mulheres de desempenharem o papel que há muito aspiravam na economia e na sociedade. Existem entidades que desde há muitos anos têm realmente feito a diferença e que têm nivelado o campo de atuação para as mulheres em termos de inovação, tecnologia e empreendedorismo.

De acordo com a pesquisa realizada pela União Europeia, as mulheres criam uma em cada três novas empresas em Portugal e 30% de todas as novas empresas na Europa. As empresárias desempenham um papel cada vez mais importante no ecossistema empreendedor, um dos principais motores de desenvolvimento na Europa. Um estudo levado a cabo pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) revela que quase dez milhões de mulheres europeias criam o seu próprio emprego e contribuem para a criação de 15 milhões de empregos. Estima-se que 870 milhões de mulheres entrem no mercado de trabalho ou estabeleçam os seus próprios negócios até ao final desta década.

A OCDE estima também que a continuidade dos avanços na promoção da paridade de género no local de trabalho aumentará o crescimento económico mundial em 30% até 2040. Entretanto, a igualdade de oportunidades entre homens e mulheres no empreendedorismo ainda não é uma realidade. A Springboard Enterprises, baseada nos EUA, tem vindo a trabalhar, desde há muito tempo, para mudar esta situação. A Springboard acelera o crescimento de empresas empreendedoras lideradas por mulheres através do acesso a recursos essenciais e a uma comunidade global de especialistas. É a principal cadeia de influenciadores, investidores e inovadores dedicados a construir empresas de alto crescimento lideradas por mulheres.

A Springboard Enterprises é a principal plataforma da América do Norte com uma rede de especialistas que aplica expertise em gestão e crescimento de negócios, e apoia mulheres empreendedoras com visão para a construção de negócios escaláveis e sustentáveis. 685 empresas lideradas por mulheres e que procuram investimento de capital humano e financeiro para desenvolvimento de produtos participaram nos programas de aceleração executados pela Springboard desde 2000: ao longo dos anos, milhares de mulheres empreendedoras participaram em workshops, seminários e “dolphin tanks” da Springboard; as empresas do portefólio da Springboard captaram mais de US$ 7,9 mil milhões em ações, doações e investimentos estratégicos.

Até ao momento, as empresas Springboard possuem 15 Ofertas Públicas Iniciais (IPOs) e mais de 170 fusões e aquisições, e aproximadamente 81% das empresas Springboard continuam a crescer de forma independente ou como entidades fundidas. As empresas apoiadas pela Springboard criaram dezenas de milhares de novos empregos, geraram milhares de milhões de dólares em receitas anuais e fundaram uma vasta rede de cobertura em 39 estados e seis continentes. Mais de 6000 empreendedores nas áreas de software, tecnologia, comunicação, produtos empresariais, bens de consumo e equipamentos industriais do setor da saúde, candidataram-se para participar nos programas de aceleração Springboard. O papel ativo e a contribuição para a economia por parte da Springboard originaram cobertura nacional nas principais redes de média impressa e online, bem como as maiores honras e elogios.

E agora, Lisboa é a cidade-sede escolhida como porta de entrada na Europa. A Spring Up Europe é uma associação sem fins lucrativos fundada em Portugal, mas de natureza europeia, com escritórios centrais em Lisboa e no Porto. A Associação está focada exclusivamente no sucesso económico de empresas lideradas por mulheres, na captação de investimentos internacionais para essas empresas e na formação, educação e capacitação de Recursos Humanos. Os membros e clientes são mulheres empreendedoras e inovadoras que operarão num ecossistema aberto, onde qualquer pessoa, independentemente do género, será bem-vinda. Através de inputs, conhecimento e partilha de experiências, o objetivo é desenvolver as redes, conexões e oportunidades de financiamento que são muito necessárias para que a sociedade e os mercados vitalizem, promovam e acelerem empresas lideradas por mulheres, que embora pequenas tenham o potencial de se tornarem as grandes empresas do futuro com escala global.

Um dos principais papéis da Spring Up Europe é, assim, acelerar, desenvolver e consolidar o crescimento de projetos empresariais liderados por mulheres e dar-lhes acesso a uma plataforma internacional de investidores e ao apoio de uma comunidade global de especialistas. Claramente vocacionada para promover o sucesso económico, facilitando a captação e o retorno do investimento, a criação de emprego qualificado e a produção de riqueza baseada em estruturas sociais e culturalmente sustentáveis lideradas por mulheres, a Spring Up Europe vê o seu papel como um fator de aceleração numa sociedade em que todos beneficiam se resolvermos de maneira eficiente e efetiva as disparidades profissionais entre homens e mulheres. A Spring Up Europe é o resultado de uma parceria com a sua organização irmã nos EUA, Springboard Enterprises, e já recebeu o apoio expresso do Município de Lisboa e do Porto, da CIP – Confederação Empresarial de Portugal e do Governo Português. A dificuldade no acesso ao financiamento é um dos principais obstáculos ao desenvolvimento de negócios por mulheres.

Um estudo recente da Harvard Business Review revela que apenas 2% do capital de risco é atribuído a mulheres e apenas 8% dos parceiros de capital das empresas de investimento são mulheres. Facilitar o acesso ao investimento, fornecendo ferramentas e janelas de oportunidade para as mulheres empresárias apresentarem os seus negócios aos investidores, é um dos principais papéis da missão da Spring Up Europe, cuja rede fará a ponte entre essas empresas inovadoras criadas por mulheres e os investidores. Apostar nestas iniciativas é uma das principais condições para garantir o desenvolvimento económico da sociedade. Estudos revelam que as mulheres empresárias têm grande impacto na economia pela sua capacidade de criar empregos sustentáveis.

A Spring Up Europe é presidida pela, desde há muito, ativista da paridade de género, Linda Pereira, que também é porta-voz das questões de género da CIP e que há mais de 30 anos desempenha um importante papel na pressão pela mudança a nível europeu. “Esperava por uma oportunidade como esta há muito tempo. É realmente hora desta questão se tornar um não-problema. Mas, tal como foi recentemente declarado pelo comissário europeu Carlos Moedas, é hora de impulsionar. Muito já foi dito, estratégias já foram implementadas, mas muitas lacunas permanecem. Não basta dizer que as coisas estão a mudar. É hora de implementar a mudança. A Spring Up Europe fará exatamente isso. É altura de fazer acontecer!”.

Artigos Relacionados: