SingularityU Portugal tem nova liderança

João Mil-Homens é o novo diretor executivo da SingularityU Portugal, a primeira organização no país que visa capacitar líderes e organizações para explorar o potencial das tecnologias emergentes aos desafios da economia e da sociedade. Dedicado a transformar o panorama da inovação em Portugal, João Mil-Homens tem agora a missão de consciencializar as organizações portuguesas para a grande transformação tecnológica em curso.

Licenciado em Engenharia do Ambiente pela Universidade Nova de Lisboa e com doutoramento em Planeamento, Governança e Globalização pela Virginia Tech, João assume-se como um ambientalista apaixonado pela temática da inovação, com um interesse particular pelo setor da educação. Iniciou a sua carreira como professor convidado na Universidade do Algarve, onde, além de lecionar, geriu vários projetos europeus relacionados com transferência de conhecimento e empreendedorismo. Passou ainda pela FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia, e pela ANI – Agência Nacional de Inovação, onde foi delegado nacional na Comissão Europeia nos comités Horizonte 2020 para os temas das Tecnologias de Informação e Comunicação, Apoio às PME e Infraestrutura Europeia de Blockchain.

Atualmente na liderança da SingularityU Portugal, o novo diretor executivo é responsável por alinhar as atividades da organização com a missão da comunidade global da Singularity University, pela gestão das operações e definição estratégica e comercial, pela curadoria da comunidade de especialistas e mentores e também pela cooperação com parceiros internacionais.

Para João Mil-Homens, “o projeto da SingularityU Portugal é uma oportunidade extraordinária e uma enorme responsabilidade. As atividades desenvolvidas pela organização são momentos únicos onde se exploram as implicações das tecnologias emergentes na sociedade. Potenciar estas experiências verdadeiramente transformadoras, juntando os melhores peritos a nível mundial com as organizações é incrivelmente impactante e enriquecedor. Temos, assim, a ambição de ajudar os líderes portugueses a prepararem-se para um mundo em grande transformação, projetando o futuro e contribuindo para a resolução dos grandes desafios globais”.

Artigos Relacionados: