Robô humanoide Cruzr chega a Portugal

Depois de ter sido apresentado na CES 2019, a maior feira de tecnologia do mundo, que decorreu em Las Vegas, o Cruzr – um robô de serviço humanoide da UBTech – chega agora a Portugal.

Com braços e mãos flexíveis, o Cruzr interage com os utilizadores através de linguagem corporal natural, e é capaz de dar apertos de mão, abraços, acenar e apontar. Consegue, ainda, decifrar as emoções da pessoa com quem está a interagir, reagindo de acordo com as mesmas.

Através de sensores, consegue seguir uma trajetória de forma autónoma, detetando e contornando obstáculos. Pode, por isso, fazer videovigilância durante o dia e também durante a noite, recorrendo à câmara de infravermelhos.

As suas utilizações são variadas: num aeroporto pode, por exemplo, dar informação sobre o estado dos voos, servir de rececionista num banco, ou mesmo de guia num museu. Em ambiente hospitalar, pode prestar apoio ao cuidador e às enfermeiras, pois pode ser programado para lembrar a hora dos medicamentos, fazer videochamadas, entre outras funcionalidades.

É, ainda, capaz de fazer reconhecimento facial, com uma taxa de sucesso de 98%, podendo registar dados de clientes de lojas, elevando assim a experiência do cliente e melhorando a qualidade do serviço das empresas.

O Cruzr conta com uma bateria que se estende até 24 horas em standy by e entre cinco a oito horas quando ativado. No caso de ficar sem bateria, o robô regressa automaticamente ao posto de carregamento, sem necessidade de interação humana.

Este novo robô é fabricado pela chinesa UBTech, uma das maiores fabricantes de robótica humanoide e inteligência artificial do mundo. Em Portugal é representada pela Beltrão Coelho, empresa pioneira na introdução da tecnologia dos robôs de serviço em Portugal e que oferece às organizações a possibilidade de tomarem contacto com esta nova tecnologia através de sistema de aluguer.

“Os robôs de serviço vieram para ficar. O Cruzr é um dos modelos mais avançados de robôs humanoides, já a ser utilizado por toda a Europa e Portugal não podia ficar de fora. Depois do sucesso com a robô Sanbot em 2018, apresentamos agora uma versão melhorada de um robô capaz de navegar sozinho e de forma autónoma em ambientes desestruturados”, sublinha Eduardo Lucena, responsável pela divisão de robótica da Beltrão Coelho.

Artigos Relacionados: