Qual a biologia do empreendedorismo e da liderança inspiracional?

Avanços recentes no campo da neurociência têm aumentado, significativamente, o interesse pela compreensão em torno da liderança e do desenvolvimento dos líderes.

A par dos estudos sobre Inteligência Artificial, a academia tem demonstrado um interesse crescente em torno das neurociências e naquilo que faz os seres humanos distinguirem-se das máquinas. Os investigadores mostram-se particularmente interessados em compreender de que forma as neurociências podem traduzir sobre lideranças inspiradoras.

À medida que as máquinas substituem o Homem nos trabalhos rotineiros, identificar os atributos que conferem aos seres humanos uma vantagem competitiva sobre os robôs está a tornar-se cada vez mais importante para os cientistas. A velocidade e intensidade da permanente evolução tecnológica e dos novos canais de comunicação são apenas alguns dos condutores primordiais que marcam e provocam a revolução de valores, saberes e perceções em praticamente todas as áreas do conhecimento humano. Contudo, embora as máquinas, os computadores e os robôs se destaquem pela velocidade, autonomia e eficiência nos processos produtivos, a criatividade e o pensamento só pode ser concebido pelos humanos.

A inovação ao nível do pensamento não pode ser extraída de informações armazenadas em bases de dados. Assim, deve considerar-se sempre a dimensão humana na liderança inspiracional e na formação contínua de competências que constituem processos de grande importância para a manutenção e desenvolvimento da competitividade organizacional.

Essa é uma das razões que motiva um recente projeto que se propõe a estudar os cérebros dos empreendedores. O cérebro de empresários como Elon Musk (CEO da Tesla), Jeff Bezos (CEO da Amazon) ou Daniel Zhang (presidente do Grupo Alibaba) despertam a curiosidade académica e científica: “Como se comporta o cérebro de um empreendedor? Os empreendedores de sucesso pensam de forma diferente das outras pessoas? O empreendedorismo é um talento natural ou pode ser ensinado?”.

O Instituto de Empreendedorismo do King’s College London tem como objetivo responder a estas perguntas, em colaboração com o Instituto de Psiquiatria, Psicologia e Neurociências da mesma universidade, através de um projeto de pesquisa que irá decorrer nos próximos cinco anos e que será financiado por um dos seus próprios professores.

Neste estudo, a equipa propõe-se investigar a personalidade de empreendedores, recorrendo a digitalizações cerebrais (imagens de ressonância magnética) e testes psicológicos, que permitam explorar os traços semelhantes e identificar elementos comuns nos cérebros dos empreendedores de sucesso. Os resultados destes exames serão comparados em termos de estrutura e atividade dos cérebros de empreendedores, com um banco de dados de voluntários que não são empreendedores, com o objetivo de encontrar e mapear traços neurais associados ao “cérebro do líder inspiracional” do mundo dos negócios.

Em Portugal, Leandro Ferreira Pereira, professor no ISCTE e fundador da WINNING, está neste momento a dirigir um projeto sobre o autoconhecimento como fator crítico para o sucesso da carreira profissional. Será positivo se pudermos contar com empreendedores portugueses no estudo do King’s College London, pois esta pesquisa é auspiciosa, na medida em que tem o potencial de poder vir a mudar a forma como se ensina e como se pensa sobre Empreendedorismo, Liderança e Gestão.

Até agora sabemos muito pouco sobre a biologia do empreendedorismo e da liderança inspiracional. Sabemos apenas que as máquinas nunca substituirão os humanos enquanto não descobrirmos e controlarmos o que provoca a emoção. Uma pessoa criativa e visionária é impulsionada por dimensões emotivas atípicas que não controlamos, motivo pelo qual é importante compreender as relações e os padrões que se estabelecem relativamente ao QI (Quociente de Inteligência), QE (Quociente de Inteligência Emocional) e QS (Quociente de Inteligência Espiritual). Esperamos, por isso, que esta investigação nos revele um pouco mais sobre os líderes empreendedores que nos inspiram!

Por: Vânia Guerreiro, diretora de marketing e comunicação da Winning

Artigos Relacionados: