Políticas de employer branding

A Hays revelou recentemente, no Guia do Mercado Laboral 2020, que o setor dos Recursos Humanos foi um dos mais ativos no que toca ao número de processos de recrutamento. Foram várias as movimentações ocorridas entre empresas, departamentos de RH que cresceram e outros que se tornaram mais especializados.

A área dos Recursos Humanos tem tido um crescimento considerável em funções de responsabilidade e de estratégia. As empresas têm dado mais importância à gestão do seu capital humano, pois necessitam de desenvolver competências e de formar profissionais com melhores skills e expertise.

Os empregadores estão a adaptar-se a uma nova geração de profissionais que estão constantemente conectados e são ambiciosos, mas que procuram reconhecimento e feedback mais imediatos. Assim, os departamentos de Recursos Humanos foram fundamentais para flexibilizar políticas e adaptar as organizações a novas realidades.

Ao analisar os dados do inquérito dos profissionais deste setor, verificou-se que 75% não negociaram o pacote salarial, 45% foram aumentados, 46% recusaram ofertas de emprego e 11% foram promovidos, em 2019.

O contexto altamente competitivo, que se verifica no atual mercado de trabalho leva as empresas a necessitarem de se superar na procura e retenção dos melhores talentos. Nesse sentido, é fundamental procurarem dotar-se de profissionais altamente competentes ao nível do desenvolvimento e implementação de processos e políticas ajustadas de gestão de Recursos Humanos. De igual forma, empresas cuja área de Recursos Humanos teve até agora um foco mais administrativo deverão procurar redefinir a sua estratégia para a vertente de desenvolvimento.

Quanto às funções que irão movimentar o setor este ano são os cargos de Diretor de Recursos Humanos, HR Business Partner, Talent Acquisition e Técnico de Recursos Humanos.

Com o propósito de atrair e reter os melhores talentos, as empresas vão procurar apostar em pacotes salariais cada vez mais competitivos e diferenciadores, não só ao nível das remunerações base mas também de outros benefícios.

Por: Rita Catarino, Senior Consultant da Hays Portugal

Artigos Relacionados: