Pela construção de um mundo melhor

O programa EY Entrepreneurial Winning Women foi iniciado há mais de dez anos e está presente em mais de 65 países. O objetivo deste programa é o de identificar empreendedoras de sucesso, com negócios com potencial de crescimento efetivo e que possam beneficiar do acesso a recursos e uma rede única, que as ajude a crescer o seu negócio.

Mas porque sentimos na EY a necessidade de apoiar estas empreendedoras, criando um programa específico que endereça as suas necessidades? Faz parte da nossa missão contribuir para o desenvolvimento de um mundo melhor, e era evidente que o apoio existente a empreendedoras não endereçava as suas necessidades especificas.

Atualmente, a situação evoluiu e existem já políticas governamentais que pretendem impulsionar o tecido empresarial feminino e apoios que visam eliminar estas lacunas. Como resultado, existem já vários exemplos de sucesso de empreendedoras femininas de sucesso no panorama internacional e nacional.

Qual a vantagem para a economia na implementação destas ferramentas vocacionadas? De acordo com um estudo recente da EY (Is the X Chromosome the X factor for business leadership?), as ambições de crescimento de empresas geridas por mulheres são superiores às geridas por homens, apesar de aquelas sentirem mais restrições no acesso a capital. Um outro aspeto diferenciador prende-se com a sensibilidade que demonstram em querer perceber as motivações do cliente final e melhorar a experiência que os mesmos têm. Igualmente, empresas lideradas por mulheres tendem a ser mais colaborativas, e em que a probabilidade de fazerem alianças com parceiros externos em áreas críticas é superior. Esta abordagem focada no cliente e aberta ao meio exterior poderá ser um fator fundamental nos tempos que correm, dada a premência pela criação de empresas flexíveis e com capacidade de respostas imediatas.

Um outro fator referido no mesmo estudo prende-se com o facto de que empresas geridas por mulheres têm mais sucesso na construção de equipas de gestão mais inclusivas e balanceadas. Esta característica apresenta-se como uma vantagem competitiva ímpar no cenário atual, pois em empresas com equipas balanceadas o objetivo central na constituição das mesmas está focado na captura de talento e competências únicas, e não na própria necessidade de constituição de equipas inclusivas.

Num survey que realizámos junto das participantes deste programa, foram identificados como vantagens do mesmo o facto de que as empreendedoras passaram a funcionar em comunidade, criaram a sua rede de apoio, de mentoring, começaram a apostar na promoção da sua imagem de marca e criaram mecanismos de retribuição às comunidades envolventes e com enfoque na capacitação dos recursos potencialmente disponíveis.

Estas conclusões são poderosas e merecedoras de exponenciação, pois não nos podemos esquecer que o sentido de comunidade permite potenciar resultados, reduzindo custo de insucessos e reforça ambientes colaborativos, permitindo assim construir um mundo melhor.

Por: Florbela Lima, partner e head da EY-Parthenon Portugal

Artigos Relacionados:

Centro de preferências de privacidade

Cookies necessários

Publicamos cookies neste site para analisar o tráfego, memorizar as suas preferências, otimizar a sua experiência e apresentar anúncios.

PHPSESSID, __gads, _ga, _gid, gdpr[allowed_cookies], gdpr[consent_types], wordpress_test_cookie, woocommerce_cart_hash, woocommerce_items_in_cart, _gat_gtag_UA_114875312_1
IDE
__cfduid