Outsystems é o novo “unicórnio” português

A OutSystems, empresa de desenvolvimento de aplicações de software, divulgou que, depois de ter conseguido levantar 360 milhões de dólares (cerca de 308 milhões de euros) numa ronda de investimento, passou a fasquia dos mil milhões de dólares de valor e, dessa forma, assumiu o estatuto de “unicórnio”. Algo que, no plano empresarial tecnológico português, ainda só tinha sido atribuído à Farfetch.
A ronda de investimento foi conseguida devido aos fundos da KKR e da Goldman Sachs. Segundo comunicado da empresa, o capital vai servir para expandir os atuais negócios da OutSystems e para desenvolver a área de automação de software.
De acordo com Paulo Rosado, CEO/founder da empresa e membro do conselho editorial da revista Líder, a OutSystems está a resolver “um dos maiores problemas que as empresas enfrentam atualmente – a falta de velocidade e agilidade do desenvolvimento tradicional de software que está a dificultar as iniciativas de transformação digital em todo o mundo”. O executivo afirmou, ainda, que “vemos as empresas a lidarem com isto todos os dias e estamos entusiasmados com esta parceria com a KKR e Goldman Sachs para resolver esse problema, trazendo mais inovação aos nossos clientes e redefinindo o futuro do desenvolvimento do software empresarial”.
Para Stephen Shanley, da KKR, o investimento é apenas o “início do que será um longo período de crescimento significativo no mercado de desenvolvimento de aplicações low-code”. O investidor afirma, ainda, que a empresa de Paulo Rosado é “líder” no mercado onde atua.
A OutSystems foi fundada em 2001 e conta na sua carteira de clientes com grandes empresas como Logitech, Deloitte ou Ricoh. Com receitas acima dos cem milhões de dólares, a tecnológica portuguesa desenvolve programas informáticos personalizados que recorrem a inteligência artificial para melhorar a eficiência nas empresas. O software low-code permite desenvolver aplicações de forma mais rápida e eficiente.

Artigos Relacionados: