O que quer para a sua organização, um grupo ou uma equipa?

O que mais diferencia uma equipa de um grupo é o sonho dos indivíduos. Se cada um tiver um sonho diferente, e for cada um por si, então teremos um grupo. Se existir um sonho em comum, e todos trabalharem evoluindo em conjunto esforçando-se para alcançar esse sonho, então teremos uma equipa.

São inúmeros os gestores que, ainda, confundem grupos com equipas. Juntar um conjunto de indivíduos num grupo de trabalho não cria uma equipa por si só. Um grupo é formado por indivíduos que partilham competências e habilidades num mesmo espaço de trabalho. Num grupo, os membros trabalham individualmente para metas comuns, mas ao fazê-lo de forma autónoma fomentam a competição, descurando a colaboração.

Porque o trabalho colaborativo não existe, os gestores criam hierarquias (manager, supervisor, colaborador). Este contexto de trabalho gera inúmeras ineficiências, problemas no relacionamento interpessoal derivado da forte competição e diferenças gritantes de valores. O feedback é olhado com desconfiança e as críticas são vistas como algo negativo e a evitar sempre. Desta forma, a comunicação falha e apenas se fomenta a competitividade entre os membros, prejudicando a produtividade da organização. Um grupo de trabalho não é mais que a soma das partes!

Numa equipa de trabalho, as pessoas trabalham para um objetivo comum, ou seja, as pessoas não trabalham de forma individual, a tarefa de cada pessoa é o complemento da tarefa do outro e todos trabalham de forma colaborativa garantido que o objetivo esperado seja alcançado.

As equipas têm um líder, as tarefas estão claramente definidas, cada pessoa sabe exatamente qual é o seu papel no seio da equipa e a comunicação flui. Neste contexto, as organizações aproveitam as sinergias do trabalho em equipa, podendo definir-se uma equipa de trabalho como a multiplicação das partes!

O trabalho em equipa proporciona um ambiente criativo com comunicação eficaz e troca de experiências de forma transparente, potenciando a realização pessoal e a confiança nos membros da equipa. As críticas e os conflitos são vistos como alavancas de crescimento e aprendizagem dos membros da equipa, sendo resolvidos prontamente através de feedbacks.

As empresas têm de virar a página e mudar a cultura organizacional para criar ambientes de trabalho criativos com equipas comprometidas que reconheçam o valor do trabalho em equipa e compreendam a missão da organização. Lidem de forma positiva com o feedback e compreendam que todos são responsáveis pelas vitórias e pelas derrotas. Pense nisso!

Por: Luís Fernandes, accounting team manager do Grupo Your

Artigos Relacionados: