ManageMentor: soluções de liderança na ponta dos dedos

Tamas Cservenyak e Robert Dobay são os dois cofundadores de uma nova aplicação mobile – ManageMentor – que pretende ajudar líderes e managers a porem em prática certos conhecimentos e skills teóricas que ajudem nas tarefas de gestão e liderança do quotidiano profissional. Ambos estiveram presentes na Merit Summit, que teve lugar em janeiro, em Lisboa, e a revista Líder foi saber mais sobre esta nova aplicação, as suas funcionalidades e como pode ajudar os líderes de hoje e do futuro.

Líder (L): Gostaríamos de saber quais os principais objetivos e razões para a vossa presença na Merit Summit.

ManageMentor (M): Nós estamos a representar a ManageMentor que é uma nova aplicação mobile, inovadora e de aprendizagem. O nosso principal objetivo é receber feedback destas empresas e orgazinações e das pessoas que as representam.

L: É uma aplicação para aprender conteúdos sobre liderança?

M: Sim, algo do género. No fundo, é uma aplicação muito contextual, no sentido em que, dado um determinado contexto, uma determinada situação problemática, a aplicação desenvolve uma solução para o líder colocar em prática, dando-lhe ferramentas e motivação para implementar certas ações.

L: O target principal são as universidades e empresas?

M: Penso que o target final são managers, que no fundo serão os utilizadores. Agora, estes managers podem vir de empresas, universidades, etc.

L: Então um manager pode utilizar esta app para desenvolver as suas capacidades.

M: Sim, mas estamos a providenciar esta aplicação não como algo que se pode descarregar, mas sim como um serviço da empresa. A aplicação pode ser também costumizada dadas as necessidades do cliente, mas normalmente é fornecida em pacotes.

L: Se quisermos saber mais sobre esta app podemos fazê-lo através de um site?

M: Sim, claro. Pode sempre visitar o nosso website em www.managementorapp.com.

L: E qual é a vossa posição neste projeto?

M: Somos os dois fundadores. Nós temos um background em gestão e também em desenvolvimento de lideranças. Há mais de 20 anos que trabalhamos nestas áreas. Começámos a juntar forças há, mais ou menos, cinco anos, quando nos questionaram se seria possível criarmos este tipo de solução mobile.

L: E até agora têm tido bastante sucesso, contando já com muitos clientes importantes.

M: Sim, até agora tem corrido muito bem. Há muitas empresas internacionais com interesse até porque estas se aperceberam de que, por vezes, os líderes e os managers não põe em prática os conhecimentos adquiridos e, por isso, estão interessadas numa solução como esta, que ajuda a pôr em prática e implementar certas ações. Claro que o coaching individual é também uma excelente solução, mas obviamente tem outro tipo de custos mais elevados. Esta app é bastante acessível a nível de preços. Nós temos vários pacotes: um para 20 utilizadores, outro para 40 utilizadores e ainda um terceiro para 80 utilizadores, para subscrições de um ano. No caso de haver um interesse num pacote para mais de 80 utilizadores, aí temos que desenhar um projeto específico com um preço também determinado para esse caso particular.

L: Em que suportes pode ser utilizada a aplicação?

M: Pode ser utilizada em telemóveis, tablets, computadores, iOS, Android, etc.

L: E quais são os planos para o futuro? O mundo nunca pára e é preciso pensarmos já no dia de amanhã.

M: Sim, claro. Nós vamos lançar agora a versão 3.0 da aplicação e aquilo que mais mudou foi a forma como segmentámos o público. Apercebemo-nos de que dentro de um universo relativamente grande podemos fazer diferentes tipos de segmentação e redirecionar o produto para esses segmentos específicos. Por outro lado, apostámos também no desenvolvimento de plataformas que permitam a partilha de experiências e aprendizagens entre utilizadores, tornando este processo ainda mais completo. Na realidade, este último aspeto ainda está a ser testado, ou seja, oferecemos já esta possibilidade, até porque muitos clientes pediram que assim o fizéssemos, mas estamos à espera de ver se realmente os managers utilizam esta funcionalidade ou não. É preciso agora analisar os dados e daí retirar conclusões. Um dos aspetos inovadores que estamos também a ter em consideração é o facto da aprendizagem ser algo importante para as empresas, mas não apenas num nível de liderança. No fundo, o que concluímos foi que no nível dos trabalhadores pode ser também importante desenvolver certas funcionalidades, como estar atento a certos prazos ou pormenores relevantes de um determinado projeto. Assim sendo, uma das possíveis evoluções é também alargar o público da própria aplicação.

Artigos Relacionados: