Líderes com espírito feminino

As empresas são, em regra, entidades masculinas, dado que, historicamente, foram geridas por homens, logo pautadas por valores e comportamentos construídos tendo por base essas características.
O lado feminino, somente nas últimas décadas passou a ter um destaque nas organizações, mas logo encontrou terreno fértil para se desenvolver. A nova realidade organizacional clama para que as pessoas, em especial as mulheres, sigam a sua natureza e desenvolvam os seus próprios padrões de comportamento e de liderança, sem se preocupar em responder aos modelos arcaicos existentes. Assim, com o desenvolvimento do tecido empresarial, as características femininas, antes pouco valorizadas, começam a ser essenciais. Posturas mais duras e pragmáticas foram substituídas por intuição e sensibilidade.
A intuição, uma característica tipicamente feminina, começa a ser definida por especialistas como uma das competências de futuro. Esta característica assume especial importância nas organizações, pois permite ao líder ter uma visão mais holística, arriscar mais, acreditar em algo e tentar seguir por esse caminho.
A sensibilidade, outra característica tipicamente feminina, é também hoje crítica. Com os novos profissionais a chegar ao mercado de trabalho, com características peculiares, é fundamental entender as necessidades das pessoas. Muitos especialistas concordam que o bom líder é aquele que compreende quem é e o que valoriza cada membro da equipa, respeitando e aceitando a diferença. Líderes com sensibilidade são hábeis ao estabelecerem e gerirem relacionamentos interpessoais, potenciando engagement e felicidade organizacional.
A dimensão estética, também mais associada ao lado feminino, é fundamental hoje para conquistar o “mundo” dos negócios. É o pequeno pormenor, que hoje e sempre fará a diferença. Um líder com dimensão estética compreende a importância que a construção da imagem de uma organização, dos seus produtos e serviços tem para o sucesso no “mundo” dos negócios. Está atento ao espaço de trabalho e nada é feito ao acaso, há uma harmonia de cores e detalhes.
Multifuncionalidade é a característica feminina mais comum e traduz-se na habilidade de lidar com diversas coisas ao mesmo tempo. Hoje, a realidade organizacional lança o desafio de ter líderes com capacidade de gestão global e não especialistas, líderes que sejam capazes de responder com profundidade a áreas que são vitais para a sobrevivência da empresa e que, ao mesmo tempo, tenham conhecimento superficial para atuar em áreas de suporte. Os líderes com esta característica conseguem manter a atenção e o foco multifacetado, demonstrando grande habilidade em atividades que requerem o desenvolvimento paralelo de processos ou projetos, revelando uma visão holística mais desenvolvida.
Capacidade de superação e perseverança. A capacidade de resiliência e perseverança, mais aguçada, historicamente, no lado feminino, assume uma importância vital para o sucesso do líder no seio organizacional. Essa capacidade de superar adversidades, de se manter firme no propósito, de elaborar caminhos estratégicos para conseguir os seus grandes objetivos e, ainda, de manter otimismo, esperança e firmeza nos seus ideais mesmo diante de situações complicadas permitem um forte equilíbrio na condução e elaboração de estratégias nas organizações. Estes líderes demonstram grande capacidade de assimilar ocasiões adversas e reverter aspetos negativos para situações otimistas.
Em suma, atualmente, as organizações são mais horizontais e interconectadas, e as mudanças são uma necessidade e realidade. Urge líderes com espírito feminino, com características como colaboração, empatia, sensibilidade e consenso.

Por: Vera de Melo, CEO/partner da Your People

Artigos Relacionados: