Incubadora do IPS atrai empreendedores internacionais


Desde a sua certificação, em 2018, pelo programa nacional StartUp Visa, coordenado pelo IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, a incubadora de ideias de negócio do Instituto Politécnico de Setúbal (IPStartUp) já recebeu mais de 40 candidaturas de projetos empresariais estrangeiros. Destas foram acolhidas duas, a consultora de análise de dados Data Corner, vinda da Malásia e entretanto já empresa registada em Portugal, e um projeto de negócio na área do e-commerce, com origem no Irão, que se encontra em desenvolvimento.

Ambos os projetos têm sede no edifício da incubadora, no campus de Setúbal do IPS, beneficiando das vantagens de uma estrutura que faz a ponte entre os mundos académico e empresarial.

A IPStartUp apresenta como traço distintivo “a integração com o ecossistema de investigação e inovação da instituição, interligando docentes, estudantes e alumni, o que proporciona uma rede de alto valor acrescentado”, considera a sua coordenadora, Sandra Pinto, acrescentando que  a proximidade e os acordos de parceria com várias organizações da região são outras das vantagens oferecidas, “permitindo que os empreendedores acedam a atores que, de outra forma, dificilmente acederiam, em tão pouco tempo”.

Para Vala Ali Rohani, fundador da Data Corner, Setúbal foi a escolha óbvia entre as cinco incubadoras nacionais que demonstraram interesse no seu projeto. Sobretudo pelo “ambiente académico” em que está inserida e no qual o também investigador se sentiria naturalmente em casa, mas também por ser uma região de forte tecido industrial. “Percebi que era uma grande oportunidade de ter a colaboração do ensino superior e também da indústria”, lembra o empreendedor, que alcançou resultados francamente promissores ao longo deste primeiro ano de incubação.

Artigos Relacionados: