easyJet quer acabar com a desigualdade de género

A easyJet acaba de lançar uma campanha que pretende inspirar mais raparigas a tornarem-se pilotos de linhas aéreas. Numa curta-metragem de recrutamento, a companhia aérea reinventou a famosa cena do filme de Hollywood Catch Me If You Can, onde Leonardo DiCaprio se fazia passar por um piloto de alto voo num aeroporto. A easyJet surpreendeu os seus passageiros no aeroporto de Southend, em Londres, ao recriar a famosa cena com um elenco de crianças, entre cinco e nove anos de idade, colocando uma menina na frente e no centro. Ao refilmar a cena do filme, a easyJet espera retificar equívocos transmitidos por filmes de Hollywood como Top Gun, The Aviator e Flyboys, de que ser piloto é para os homens.

A liderar o elenco estava Hannah Revie, de nove anos, filha da comandante da easyJet, Emily Revie. Na curta-metragem (apelidada de “Catch Up, If You Can“), Hannah adotou a arrogância de DiCaprio no uniforme da easyJet e foi acompanhada por uma comitiva de meninos, recriando o papel da tripulação de cabine, apropriadamente interpretada por crianças para inspirar os jovens a seguir uma carreira de piloto.

O truque publicitário foi inspirado pelos resultados surpreendentes da pesquisa da companhia aérea, que entrevistou mais de 500 pilotos, tendo descoberto que, quando crianças, os meninos eram mais propensos do que as meninas a considerar uma carreira como piloto. Mais de metade (55%) dos pilotos do sexo masculino sabiam que queriam seguir esta profissão aos dez anos de idade. As mulheres estavam menos entusiasmadas, já que apenas metade (50%) só pensava na carreira quando tinha 16 anos – ou até mais. Surpreendentemente, mais de um quinto (22%) dos pilotos do sexo masculino já sonhavam com este emprego aos cinco anos de idade.

Chris Browne, diretor de operações da easyJet, elucida que: “Está claro, na nossa pesquisa, que a mudança de perceções e ambições para as mulheres começa na escola. Queríamos criar uma cena divertida, mas instigante, sobre essa famosa cena cinematográfica, para inspirar mais raparigas a seguirem esta carreira gratificante. Esperamos que a nossa campanha inspire uma nova geração de pilotos, desafie os estereótipos de género e encoraje mais mulheres a atravessar os céus”.

A pesquisa da easyJet veio demonstrar que modelos positivos de infância, como estrelas de televisão e cinema, membros da família, e reuniões com pilotos reais, eram vitais para inspirar os jovens a considerar a carreira e, como tal, a companhia aérea pretende continuar a sua campanha para aumentar a visibilidade dos pilotos fora dos aeroportos. Desde o lançamento da iniciativa “Amy Johnson Flying”, os pilotos da easyJet visitaram mais de 150 escolas e faculdades para promover a carreira.

Veja o vídeo da campanha, AQUI.

Artigos Relacionados: