E se pudesse levar o seu cão para o trabalho todos os dias?


A parceria sem fins lucrativos Pets at Work Alliance tem como objetivo impulsionar o hábito e unir as empresas em torno da causa dog-friendly. Queremos sensibilizar tanto as pessoas como as empresas para os benefícios associados e demonstrar como é simples e possível implementar em qualquer empresa. Acreditamos que à medida que as pessoas conheçam a iniciativa e as empresas vejam como esta melhora a sua imagem e contribui para o bem-estar dos colaboradores, haja cada vez mais a aderirem.

Com o lançamento da Pets at Work Alliance, a Nestlé Purina divulgou também os resultados de um estudo conduzido pela Ipsos sobre a presença de cães no local de trabalho. Segundo os resultados obtidos esta poderá ser a próxima grande tendência do mercado de trabalho em Portugal.

Esta análise envolveu a participação de 3221 pessoas, tutores de cães, provenientes de oito países europeus, incluindo Portugal, e reforça uma mudança multigeracional na perceção entre os colaboradores, com mais de dois terços (68%) dos trabalhadores na Europa a dizer que levariam os seus animais para o trabalho caso lhes fosse dada essa opção. Portugal está alinhado com esta média, com 67% dos inquiridos a dizer que gostaria de poder levar o seu cão para o trabalho.

Segundo o estudo, quatro em cada dez (36%) europeus, tutores de cão, optariam por trabalhar numa empresa onde exista a possibilidade de levarem o seu animal de estimação para o trabalho. Este é aliás o quinto benefício mais “votado” dentro de uma lista de 15 opções apresentadas no âmbito do inquérito realizado, sendo apenas ultrapassado por benefícios como flexibilidade no horário de trabalho (66%), regimes de teletrabalho (47%), regime de pensões (44%) e seguros de saúde (41%).

Contudo, apesar da perceção positiva que o público tem acerca dos benefícios de ter animais no trabalho, apenas 12% dos inquiridos a nível europeu trabalha num ambiente pet-friendly. Neste caso, Portugal fica-se por uma taxa de 7% e é aqui que a Purina, que já é dog-friendly desde janeiro de 2016, quer fazer a diferença desafiando outras empresas a seguir o seu exemplo.

Os portugueses, que estão interessados em levar o seu cão para o trabalho, sentem acima de tudo que esta opção reduz o sentimento de culpa por deixar o animal sozinho em casa (62%), em segundo lugar porque ajuda a criar um ambiente de trabalho mais relaxado (46%), contribui para o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal (41%) e, finalmente, porque está comprovado que reduz o stress no trabalho (45%).

Do ponto de vista da empresa tem também inúmeras vantagens. Levar o pet para o seu ambiente de trabalho é percebido pelo colaborador como um benefício (44%), aumentando também a atração e retenção de talento. Ao ser uma prática diferenciadora, melhora a imagem da empresa (40%) tornando-a um local mais atrativo para trabalhar.

Prova disso é o que nos diz Catarina Fancaria, uma das nossas colaboradoras na Nestlé Purina: “Trazer a Wendy comigo, principalmente porque vejo a felicidade dela todas as manhãs ao chegar, reduz os meus níveis de stress porque sei que ela está mais tranquila. Contribui também para um melhor equilíbrio entre a minha vida pessoal e profissional já que ao tê-la comigo o dia inteiro faço uma melhor gestão familiar, tendo mais tempo livre para outras coisas”.

Neste momento, a Nestlé Portugal, a Time Out Lisboa, a Wolt e a ComOn já pertencem à Pets at Work Alliance permitindo que os seus colaboradores levem os cães para o trabalho todos os dias. Com base no interesse demonstrado pelos portugueses, espera-se que cada vez mais empresas adotem esta política da forma que melhor se adapte à sua realidade.

Por: João Castanheira, country manager da Nestlé Purina Portugal

Artigos Relacionados: