Dilema dos prisioneiros: onde colaborar é confiar

Para a psicóloga Denise Rousseau, a confiança é expressa como “um estado psicológico que compreende a intenção de aceitar uma vulnerabilidade baseada em expectativas positivas das intenções ou comportamentos de outro”. A confiança permite a cooperação e a cooperação conduz a resultados mais eficazes. Quando uma equipa de trabalho pode confiar nos elementos que fazem parte da mesma e cooperam, os resultados alcançados serão bem maiores quando comparados a uma equipa semelhante que não coopera. Isso pode verificar-se em atividades, tais como: divisão do trabalho, redução do risco, partilha de despesas, etc.

Pense na seguinte situação: Dois suspeitos, X e Y, são presos pela polícia, mas esta não tem provas suficientes para os punir, então separa os prisioneiros em salas diferentes e oferece a ambos o mesmo acordo.

          1. Se um dos prisioneiros confessar – trair o outro – e o outro permanecer em silêncio, o que confessou sai livre enquanto o cúmplice silencioso cumpre dez anos.
          2. Se ambos ficarem em silêncio, ou seja, colaborarem um com o outro, a polícia só pode condená-los a um ano cada um.
          3. Se ambos confessarem – traírem-se um ao outro – cada um leva 5 anos de prisão.

Cada prisioneiro faz a sua decisão sem saber a escolha do outro. Esta matriz resume os pontos apresentados anteriormente:

Aqui estão descritos o número de anos que cada prisioneiro passará na cadeia, sabendo que quanto menor o tempo da pena, melhor será para eles. Sendo assim, cada prisioneiro vai tentar maximizar o seu resultado individual. Desta forma, a única decisão racional a tomar será trair o outro prisioneiro. O que posso adiantar? É que a escolha individual – trair – não é a melhor para ambos. Então qual é a melhor solução?

A melhor solução é quando os prisioneiros decidem colaborar – confiar (aceitando a vulnerabilidade existente em todo esse processo). O dilema do prisioneiro representa muito bem situações comuns onde a escolha do melhor para cada um dos indivíduos conduz à traição mútua. Reflita: Você colaboraria com qualquer um dos elementos que faz parte da sua equipa de trabalho?

Por: Ana Pinto, professora universitária e consultora em recursos humanos

Artigos Relacionados: