Dificuldade de retenção de talentos nos Centros de Serviços Partilhados

No Guia do Mercado Laboral 2020, a Hays revela que tem-se vindo a assistir a um crescente interesse por parte de grupos multinacionais em implementarem os seus Centros de Serviços Partilhados, em Portugal.

Entre os principais motivos encontra-se o facto do país possuir profissionais qualificados com diversas valências técnicas e com um elevado enquadramento neste contexto de atividade, assim como o facto de o nível salarial ser ainda atrativo para os empregadores.

Por outro lado, o crescente número destes Centros em Portugal tem aumentado o turnover dentro das empresas e os salários poderão vir a aumentar para fazer frente face às dificuldades de retenção de talento. Assim, é cada vez mais crucial para estes Centros a criação de estratégias de atração e retenção de talentos.

Ainda, a necessidade de recrutamento de perfis com idiomas menos comuns, como o Holandês e Alemão, por vezes, contribuem para que os Centros de Serviços Partilhados tenham de aumentar os níveis salariais.

Ao analisar os dados do inquérito dos profissionais deste setor verificou-se que 67% não negociaram o pacote salarial, 34% foram aumentados, 51% recusaram ofertas de emprego e 10% foram promovidos, em 2019.

Perspetivas para 2020

Em 2020, perspetiva-se a continuação da entrada de novos Centros em Portugal. Quanto às funções que irão movimentar o setor este ano são os cargos de Accounts Payable, Accounts Receivable, Customer Representative, General Ledger, HR Manager, Team Leader e Técnico de Tesouraria.

Perfis mais solicitados e os mais difíceis de identificar

Em 2019, houve uma necessidade de investimento e retenção no recrutamento para o setor de Business Services Center para perfis de General Ledger/Record to Report, Accounts Receivable/ Order to Cash, Accounts Payable/Procure to Pay e Customer Representative.

O que mais valorizam e que benefícios desejam?

Após uma análise aos inquiridos, sendo que 48% eram do sexo masculino e os restantes 52% do sexo feminino, estes apontam como as principais mais-valias a oferta salarial (89%), o bom ambiente de trabalho (79%), plano de carreira (71%), cultura empresarial (57%) e qualidade de projetos (53%).

Quanto aos benefícios mais desejados para aceitarem uma oferta de trabalho, os inquiridos apontam como os cinco principais fatores: seguro de saúde (85%), flexibilidade de horários (70%), possibilidade de trabalhar a partir de casa (68%), formação/certificações (63%) e dias de férias extra (40%).

Por: Mário Rocha, Manager da Hays Portugal

Artigos Relacionados: