Adecco Portugal já recrutou o “CEO por Um Mês” de 2018

A Adecco Portugal já recrutou a finalista portuguesa do programa internacional “CEO por um Mês” deste ano. Sara Santos foi a jovem selecionada para acompanhar a diretora-geral da Adecco Portugal, Carla Rebelo, durante o mês de julho. Neste período, a jovem, além de acompanhar de perto a gestão da empresa de Recursos Humanos, terá ainda um conjunto de desafios que podem levá-la a ser escolhida entre os finalistas dos 46 países que participam neste programa para acompanhar o CEO do Grupo, Alain Dehaze.
Sara Santos tem 23 anos e tirou um bacharelato em Economia, na Universidade do Algarve, tendo estado um semestre em Mannheim, na Alemanha, onde estudou Pensamento Computacional, Gestão do Conhecimento Corporativo, E-Business Comportamental e Alemão A1. Atualmente, Sara encontra-se a tirar o mestrado em Finanças, na Universidade Católica de Lisboa – Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais. Quanto a experiência profissional, realizou um estágio de verão para o Grupo SIBS e um estágio em Business Development para a Neoception GmbH na Alemanha. Passou, ainda, pelo Banco de Investimento Global, mais recentemente. Sempre à procura do sucesso, Sara venceu aquela que é a iniciativa mais marcante que o Grupo Adecco desenvolve a nível internacional, para apoiar o desenvolvimento e a entrada no mercado de trabalho de jovens profissionais.
Este ano o programa “CEO por um Mês” registou, em Portugal, um enorme crescimento, tendo alcançado o triplo das inscrições do ano passado. Foram mais de 1230 os jovens que aceitaram o desafio da Adecco, sendo de assinalar que 52% dos inscritos eram do sexo feminino. Este número revela que assistimos a uma transformação positiva face à forma como as mulheres encaram o seu papel no mercado de trabalho.
Quanto à vencedora, Carla Rebelo considera-a “uma jovem muito promissora”, acrescentando que “este ano conseguimos um crescimento notável do número de participantes, o que reforça de forma clara a relevância desta iniciativa. A adesão é reveladora da necessidade sentida pelos jovens de conseguirem ter acesso a experiências que os permitam complementar a aprendizagem adquirida no sistema de ensino, bem como de terem a oportunidade de demonstrar o seu valor e talento. Trata-se também de uma grande chamada à ação por parte das empresas em Portugal para viabilizar a entrada dos jovens no mercado de trabalho, uma vez que ainda temos das maiores taxas de desemprego jovem da Europa”.

Artigos Relacionados: