A importância do encorajamento na liderança feminina

Vamos começar por um exercício. Pare e respire. Acalme a velocidade da sua mente e do seu coração. Concentre-se. Centre-se em você mesma. Responda a estas perguntas:

  • O que é liderança para si? O que significa para si ser líder?
  • Quando digo a palavra “líder”, qual é a imagem que vem à sua mente?
  • Quem é este/a líder que lhe surge? É alguém que você conhece pessoalmente ou alguma referência mais distante?
  • Como ele/a é fisicamente? E emocionalmente? O que ele/a faz?
  • Qual é o seu ideal de líder?
  • Quão próximo ou distante está daquilo que idealizou – daquilo que significa para si ser um/a líder?

As respostas a estas perguntas são fundamentais para orientar a nossa reflexão e principalmente a nossa ação.

Liderança é uma competência social, emocional e relacional. E como tal, pode ser exercida e pode manifestar-se de diferentes formas. A senhora do café pode ser uma liderança fundamental na sua zona, apoiando as pessoas com os seus serviços e informações. A professora da escola exerce um papel de liderança crucial para o pleno desenvolvimento de cidadãs e cidadãos que colaborem para a construção de sociedades democráticas.

A presidente da Junta de Freguesia oferece aos seus fregueses, certamente, um modelo de liderança local através do apoio que presta à comunidade. A vereadora da Câmara Municipal lidera processos e pessoas com o objetivo de assegurar o bem comum e a representação dos interesses da população. A empreendedora que iniciou a sua startup é uma líder local/regional que traz inovação e qualidade para os seus clientes.

As amas são líderes na arte de cuidar e através do seu trabalho possibilitam a gestão e organização de inúmeras famílias. A presidente da associação para pessoas com determinada condição ou (d)eficiência é uma líder que desempenha um papel crucial no exercício da cidadania e igualdade dos grupos que representa. A senhora da limpeza é uma líder exímia com a nobre função de assegurar condições de higiene e bem-estar para tantas outras pessoas.

O que todas nós temos em comum? A necessidade de termos coragem.

Todas as lideranças trazem consigo desafios. Alguns maiores, outros menores. Alguns passíveis de gestão, outros que parecem intransponíveis. Isto é uma certeza absoluta: enfrentaremos desafios. Enfrentar. E para enfrentar… é preciso coragem.

Coragem para ser imperfeito/a. Coragem para dizer “não”. Coragem para errar. Coragem para voltar a tentar. Coragem para pedir desculpa. Coragem para parar. Coragem para continuar. Coragem para reinventar. Coragem para mudar. Coragem para chorar. Coragem para amar. Coragem para pedir apoio. Coragem para aprender (mais do que ensinar!).

Ter coragem é uma escolha. Nós escolhemos casar ou divorciar, abrir ou fechar uma empresa, pedir demissão ou continuar no trabalho, ter filhos ou não os ter, gastar dinheiro ou economizar, discutir com o vizinho ou ignorar. Nós temos o poder de escolha. Somos nós que determinamos as nossas ações e os nossos pensamentos.

Construir e fomentar um ambiente encorajador ao nosso redor – na família, na escola, no trabalho – cria uma cultura de encorajamento e uma comunidade encorajadora.

Que possamos exercer a nossa liderança com coragem e que possamos oferecer um modelo de encorajamento, liderando corajosamente pelo exemplo.

Por: Danielle Capella, psicóloga clínica

Artigos Relacionados: