A banca é para financeiros e não só

A banca não é só para financeiros! Esta é uma das máximas da Gestão de Pessoas no Banco Montepio e é um espelho das nossas equipas, que são um verdadeiro mix de backgrounds, experiências e faixas etárias.

Por isso, o Programa de Trainees que acabámos de lançar é também um programa inclusivo, que aposta na diversidade e arrisca na integração de jovens com diferentes backgrounds académicos. É claro que há áreas preferenciais – como a Gestão e a Economia, as Finanças, o Marketing ou a Matemática – mas aquilo que valorizamos mesmo é o perfil de cada um. Mais do que a média de final de curso, para nós o talento mede-se pela dose certa de determinadas características. Ambição, confiança, autonomia, espírito crítico, capacidade de análise, não ter medo de errar nem de colocar questões, e vontade de arriscar q.b. – estas são as variáveis para as quais vamos olhar com mais atenção ao longo do processo de seleção dos 20 trainees que vão começar a trabalhar connosco já em fevereiro.

Todos sabemos que o talento jovem é um dos grandes ativos das empresas do futuro. No Banco Montepio queremos que o talento jovem seja um dos nossos principais ativos já hoje. Para fazer esse caminho em direção ao futuro.

A passar neste momento por um profundo plano de transformação, o Banco Montepio sabe que é no seu capital humano que reside uma boa parte da responsabilidade pelo sucesso desse mesmo plano. Por isso queremos “injetá-lo” com as novas formas de fazer e de olhar que só os jovens com este perfil têm. Ou seja, se já é bom ter um “melting pot”, agora vamos “agitá-lo” para fazermos este caminho em conjunto. No final, estou certa de que todos saímos a ganhar: uns porque foram desafiados a fazer e a pensar diferente; outros porque tiveram oportunidade de ser ouvidos e de contribuir ativamente para o redesenho daquilo que queremos que seja a nossa organização no futuro: mais moderna, inovadora, ágil, e com o cliente no centro de tudo.

Atrair e reter este tipo de perfis não é fácil, mas a verdade é que um setor aparentemente tão tradicional como a banca também pode ser atrativo para a geração Y ou para os millennials. No caso concreto do Banco Montepio estes perfis têm a possibilidade de fazer parte da estratégia e da transformação da organização, e há aqui um mundo de oportunidades, movidas tanto por imposições regulamentares como por necessidades do próprio Banco ou do mercado.

Por: Sandra Brito Pereira, diretora de Gestão de Pessoas do Banco Montepio

Artigos Relacionados: